domingo, 25 de janeiro de 2009

Cultivar a paz e o bem: a começar pelo que me alimento!

Todos nós temos dois cães internamente. Um cão mau, que carrega nossos defeitos e um cão bom que carrega nossas qualidades. Nunca conseguiremos arrancar de dentro de nós algum deles. No entanto, o que somos é justamente fruto do cão que mais alimentamos em nós.

"Somos o que mais alimentamos em nós."


Não podemos controlar o que sentimos nem o que desejamos. Seja uma raiva explosiva e involuntária, seja um mau humor ou um desânimo, seja uma sensação de insatisfação constante ou um abatimento, seja um descontentamento depres
sivo ou uma passional alegria, seja um sentimento de atração ou sentimento de repulsa, seja o desejo de querer possuir o que não se pode ou o que não se tem, mesmo que não tenha valor maior do que já se possui. Infelizmente não se pode controlar o sentir e o desejar. Mas se pode controlar o quanto vamos alimentar este desejo e este sentimento, e o quanto vamos nos deixar dominar por eles.

“Somos donos de nossos atos, mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer atos,mas não podemos prometer sentimentos... Atos são pássaros engaiolados, sentimentos são pássaros em vôo.” Rubem Alves


"O que cultivamos dentro de nós reflete à nossa volta! Nossa família, nossos relacionamentos, nossos filhos são apenas frutos desta colheita semeada por nós mesmos."

video

Um comentário:

Harley Pinto disse...

Um dos maiores filósofos da modernidade, Thomas Hobbes, escreveu certa vez que o homem é o lobo do homem, ou em latim, "Homo homini lupus".
Acho que suas reflexões vão bem na direção das que ele fez à época.

Interessante como as coisas não mudam mesmo depois de transcorrido tanto tempo.