quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Ser

Não existe jeito certo, mas existe jeito sincero!

Críssia Paiva


As pessoas, às vezes, se deparam com situações em suas vidas com as quais possui a doce ilusão de procurar o certo ou errado. Eis o paradigma: qual a verdade, então?


Não há verdade! Há no máximo um tênue limiar do respeito com o outro, com seu jeito de ser. Aí que se encontram tantos enganos e complicações. A questão está em saber se este limite está sendo confundido com os conceitos de tolerância e aceitação de quem está recebendo a ação ou se está causando a dor ou o incômodo por este porque o sujeito está realmente ultrapassando os limites da alma e do coração do objeto, a ponto de feri-lo a queima roupa.


Não importa qual a religião você segue, sempre a “sua” fé será a que salvará e a que nos levará para o céu. Não importa qual estilo de música você ouve, porque este sempre será o melhor e mais completo som para os “seus” ouvidos. Não importa qual time de futebol você torça, mesmo quando ele for para a última divisão, ele ainda será o mais vibrante. Não importa qual curso você se formou, ele sempre será o mais perspicaz e poderoso de todos os outros. Não importa em que trabalha, ele será sempre o mais árduo e exigente. Não importa se você está solteiro, será mais feliz do que qualquer comprometido, por poder flertar fugazmente com vários, assim como quando está comprometido será mais feliz que todos os solteiros justamente por estar vivendo um amor verdadeiro. E assim por diante. Uma necessidade constante do nosso ego de se sentir especial, diferenciado entre tantos, mesmo que para isso, seja feito pelas marcas da guerra, ou que seja feito pela glória.


Então o que é válido nesta vida? Como as respostas são mais complicadas que pensamos, então vamos pelo caminho mais óbvio, seja sincero. Sincero com você e com as pessoas ao seu redor. E se assim se encontrar em paz, pronto. Não há mudanças radicais a serem feitas. É o seu jeito de viver, são suas escolhas, é sua vida.


Talvez alguém me indagasse: mas e se houver alguém magoado ou enraivecido com ele? Ou ferido por ele? Aí vem outra pergunta, esta pessoa está assim porque ele não está fazendo conforme suas expectativas e desejos ou porque realmente há uma falta de “senso” de limite desta pessoa? Caso a resposta seja a segunda, saiba que com certeza, em paz esta pessoa não está. Não há maior juiz que nosso próprio subconsciente, se algo anda errado em nós, precisando ser reavaliado, ser mudado, nosso espírito se encontra em profundo desalento. No entanto, se ainda assim, a pessoa não conseguir se encontrar em paz, não conseguir rever os seus atos que tanto inquietam seu coração, aí uma mão amiga, um abraço dos pais, o apoio da família, o companheirismo da pessoa amada, um acompanhamento profissional poderão atuar para ajudá-lo, respeitando suas limitações e ajudando-o a trabalhar seu eu.


Há uma grande diferença entre a cegueira branca, em que muitas vezes nos encontramos, como no Ensaio sobre a cegueira – de José Saramago, que muito recomendo conhecerem, e que pretendo falar dele em breve, e o se aceitar.


Quando admitimos que seja assim que queremos ser, não importa como, apenas seja sincero. Sincero com quem está ao seu lado, sincero com você mesmo. Não faça do ludibriar, da mentira e do auto-engano meios para esconder o que realmente se é. Isso vicia. Além do mais, assim, não estará somente ferindo as pessoas que tanto o amam ao seu redor, mas também se acomodará na tão doce estupidez humana, na cegueira branca.


Quer viver relacionamento aberto? Divida isso com sua companheira e dê a ela o direito de escolha, mas nunca a faça de boba, escondendo suas relações extraconjugais, se achando esperto demais para manter esta situação, porque apenas representam a sua imaturidade e o seu egoísmo, e como toda verdade, um dia ela virá e será tarde demais para evitar que se sangre tamanha desilusão e se perda o que talvez lhe fosse mais precioso. Quer parar de estudar e trabalhar? Converse com seus pais e mostre a eles que poderá sobreviver assim e ser feliz, mas não os faça criar expectativas e investimentos que não terão retorno. Sua filha adolescente quer namorar? Seja sincero com ela sobre seus medos, mas não faça deles justificativas para prendê-la, porque assim, ela agirá às escondidas, usando dos subterfúgios dos instantes furtivos para precipitar momentos que poderiam ser vividos há seu tempo. Quer casar e não acreditam em nada? Então sejam sinceros e não faça dos “celebrantes de fé” apenas personagens fantoches do espetáculo particular de vocês. Gosta de sertanejo e seus amigos de rock? Seja sincero com eles, por mais que eles façam algumas piadinhas, se você for coerente com suas escolhas e gostos, não se fazendo do tipo mascarado ou espertalhão, eles o respeitarão e aceitarão.


Talvez viver seja um dos maiores mistérios do universo. Nunca sabemos ao certo como seguir, qual a melhor escolha a ser feita, quais oportunidades estamos abrindo mão ao optarmos por outra, ou porque certas coisas nos acontecem ou simplesmente não acontecem. O fato é que perdemos e ganhamos o tempo todo na vida. Seja com nossas escolhas, com nosso jeito de ser, seja pelas escolhas e pelo jeito de ser do outro. Então, o mais importante é encontrar-se em paz com o caminho que está trilhando, e para isso, nada mais trivial que começar por sendo, simplesmente, sincero.




3 comentários:

robonse081@gmail.com disse...

Muito bem escrito. Principalmente o quarto parágrafo que parece ser a essência de todo o texto. Você

escreve de maneira bem articulada, com bom senso e sem deixar sua opinião nas sombras. Pelo visto tudo

que eu vier a escrever aqui vai parecer rabiscos de moleque perto dos seus textos. Parabéns mesmo...




PS: CoryDora(durante a madrugada) about no-sex: Chato(eu disse) não, limitado(você me corrigiu)... chato

só se for a única coisa que importe pra você... (além de original, um puta "insight" bacana...)

PPS: Eu adorei Juno... especialmente o texto...

PPPS: Nossa!!! Da sua lista eu só li 1984... deixa eu ir dormir pq eu vou ter muito trabalho a

fazer...Boa noite e tomara que agente se encontre de novo ainda que de maneira "limitada".

PPPPS: Você é uma pessoa adorável e talentosa. Alguém de quem terei ótimas lembranças.

PPPPPS: As pessoas costumam se declarar em blogs??? Não?? Ok, então eu vou ficar quieto...



Beijos, Zé...

robsonse081@gmail.com disse...

Ops... email ficou errado... me desculpe:
robsonse081@gmail.com

Corydora disse...

Obrigada Robson pelo carinho!

Seja sempre bem-vindo!